22 de Julho de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Presidência Sábado, 22 de Julho de 2023, 09:50 - A | A

Sábado, 22 de Julho de 2023, 09h:50 - A | A

"Ação na Segurança"

Decreto de Lula restringe permissão para armas a civis

Entre os atos assinados, um decreto com medidas visando o controle responsável das armas e mais de R$ 3 bilhões em recursos para os estados

Giovanna Bitencourt/VGN

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) assinou, nessa sexta-feira (21.07), atos e medidas para fortalecer a segurança pública do país, dentro do Programa de Ação na Segurança (PAS). Entre as medidas, um decreto que busca o controle responsável das armas e a alocação de mais de R$ 3 bilhões em recursos para os Estados.

Durante seu discurso, Lula enfatizou que as mudanças não visam substituir o papel dos governadores na gestão da polícia estadual, mas, estabelecer uma parceria para reduzir a violência nas cidades e na Amazônia.

“Estamos trazendo para o Governo Federal a responsabilidade pela segurança pública desse país, com Estados e Municípios. Não queremos ocupar o papel dos Estados, porque quem cuida da polícia estadual é o governador do Estado. O que queremos é ser parceiro, é contribuir para que a gente possa, tanto nas cidades como na Amazônia, diminuir a violência desse país”, afirmou o presidente.

Conforme informado pelo Ministério da Justiça, o decreto reduzirá a quantidade de armas permitidas para civis, passando de quatro para duas, e limitará o número de munições acessíveis a 50 por arma/ano. Além disso, será exigida a comprovação de "efetiva necessidade" para o uso das armas.

Para caçadores, atiradores e colecionadores (CACs), haverá também uma redução na quantidade de armas e munições autorizadas, de acordo com o tipo de uso, arma e nível de atirador, bem como a quantidade de competições e treinamento.

O decreto também restringirá o porte de trânsito municiado de armas para os CACs, exceto quando for emitida uma guia de tráfego. Entidades de tiro esportivo serão afetadas por restrições adicionais, e a prática de caça será tratada como exceção, exigindo documentos comprobatórios e a especificação da arma apropriada para o abate.

Outra medida significativa é a redução da validade dos registros de armas de fogo, que passará a ser de três ou cinco anos, dependendo da motivação de uso.

Lula destacou que o Governo Federal continuará lutando por um país desarmado, com o uso de armas restrito à polícia brasileira e às Forças Armadas. Além disso, defendeu a importância de tornar os livros e as atividades culturais mais acessíveis às crianças.

“Vamos continuar lutando por um país desarmado. Quem tem de estar armado é a polícia brasileira. São as Forças Armadas. O que temos de fazer é baixar o preço dos livros. É baixar o preço das festas e das coisas culturais que as nossas crianças não têm acesso”, defendeu Lula.

Além disso, foi instituído o Plano Amazônia: Segurança e Soberania (Plano Amas), com um investimento de R$ 2 bilhões do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). Esse plano prevê a criação de 28 bases terrestres e seis fluviais para combater crimes ambientais e infrações correlatas.

Com isso, a região terá um total de 34 bases integradas de segurança. O Plano AMAS também inclui a implementação da Companhia de Operações Ambientais da Força Nacional de Segurança Pública, com sede em Manaus.

Leia tambémPGR deve investigar Abílio por possível crime de violência política de gênero contra deputada transexual

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760