24 de Fevereiro de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Câmara Federal Domingo, 21 de Maio de 2023, 10:11 - A | A

Domingo, 21 de Maio de 2023, 10h:11 - A | A

Congresso Nacional

Rosa Neide diz que Salles quer palco com CPI do MST: “Não deu conta de ser ministro”

Rosa deixou claro, que nem o PT, nem o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apoia invasões de terras produtivas

Adriana Assunção/VGN

A ex-deputada federal e diretora da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), professora Rosa Neide (PT) criticou em entrevista ao #vgn No Ar, com Geraldo Araújo, a indicação do deputado federal Ricardo Salles (PL-SP) para a relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai investigar o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST). Segundo a petista, a CPI irá tirar o foco do Congresso as pautas mais importantes do país.

Rosa deixou claro, que nem o PT, nem o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apoia invasões de terras produtivas. Ela criticou afirmando que Ricardo Salles não deu conta de ser ministro do Meio Ambiente, tornando o Brasil “terra arrasada” e agora fará frente a uma CPI, que poderá tornar o Brasil motivo para deboche público internacional.

“Eu não sou contra a CPI. A CPI é um instrumento que o parlamento tem para fazer investigações. Agora, muitas vezes, uma CPI é criada com finalidades que não é para descobrir nada, né? É para fazer uma cortina de fumaça, o próprio Ricardo Salles gosta desse tipo de coisa, ficar na mídia, então, ao invés dos deputados estarem voltados para discutir o arcabouço fiscal, tirar 33 milhões de pessoas do mapa da fome, aumentar emprego, fica fazendo teatro. Então, esse teatro de CPI é muito ruim”, destacou Rosa Neide.

Questionada sobre as críticas que indicam a investigação ao movimento social como “palco” da pré-candidatura de Salles à Prefeitura de São Paulo, em 2024. “Ele pode querer criar um palco e ele mesmo cair do palco”

A ex-deputada federal também questionou a falta de objetividade e falta lógica na CPI do MST, considerando que a legislação brasileira já prevê punições para invasões irregulares. “Se alguém invadiu alguma terra, que não pode ser invadida, porque ela é uma terra produtiva, ela tem documento, o proprietário, a lei vai agir. A lei já está clara, nós do Partido dos Trabalhadores e o próprio presidente Lula nunca fomos favoráveis a isso. Ajudamos a aprovar uma que diz o que pode e o que não pode. O que a gente sempre orienta: olha, vocês tão acampados, aguardem a Justiça. Quando você invade, você perde o direito. Então, ninguém nunca orientou isso”, declarou Rosa.

Leia também: Rosa Neide diz que Cuiabá é “uma senhora que precisa ser bem cuidada” e coloca seu nome à disposição

Conforme Rosa Neide, o MST é um movimento daqueles que querem terra para o pequeno produzir. Ela afirma que o “Governo tem que se virar” para se organizar, especialmente, porque o Brasil tem muitas terras públicas. “Temos pessoas que devem ao Governo e está se propondo entregar parte da terra para pagar dívida em bancos. Temos terras prontas para assentar as pessoas.”

Rosa Neide explica que o “Abril Vermelho” – realizado pelo MST - como prática de “luta”, ocupando prédios do Incra e para pressionar a Reforma Agrária no país. “Agora outro lugar fez alguma coisa (invasões em terras privadas), vai lá e resolve. Não é fazer CPI e ficar criando caso no Congresso Nacional.”

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760