01 de Março de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Câmara Federal Terça-feira, 11 de Julho de 2023, 14:30 - A | A

Terça-feira, 11 de Julho de 2023, 14h:30 - A | A

VEJA VÍDEO

Deputada critica comportamento de Abílio Brunini na CPMI e diz que caso do deputado é de psicanálise

A deputada Erika Hilton afirmou que Abílio está constantemente buscando chamar atenção na CPMI

Edina Araújo & Adriana Assunção/VGN

O deputado federal bolsonarista, Abilio Brunini (PL-MT) é acusado de homofobia em discussão na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), que apura os atos golpistas de 8 de janeiro, no Congresso Nacional, em Brasília. A denúncia foi feita pelo senador Rogério Carvalho (PT), que chamou atenção do presidente da Comissão, Arthur Maia (União) sobre a fala homofóbica direcionada a deputada Erika Hilton (Psol).

Carvalho afirmou que Abílio, no momento em que o microfone estava desligado, que a deputada Erika Hilton estaria “oferecendo serviços” durante os trabalhos no Congresso. A fala também foi testemunhada pela senadora Soraya Thronicke (União).

Em resposta à acusação, Erika Hilton destacou que o deputado Abílio, constantemente busca chamar a atenção nas sessões da CPMI, utilizando um comportamento que, na opinião dela, reflete uma abordagem baseada na psicanálise, não em questões de gênero ou sexualidade.

A deputada deixou claro que nunca entrou nesse tipo de discussão e atribuiu a perseguição à comunidade LGBTQIA+ a pessoas que estão do "outro lado". Ela explicou que, ao mencionar a carência de Abílio, estava se referindo ao comportamento constante de busca por atenção, que, segundo ela, não condiz com a posição ocupada na CPMI.

Erika Hilton exigiu respeito e reiterou que não aceitará ser desrespeitada, interrompida ou sujeita a comparações de baixo nível. Ela ressaltou que trata todos os colegas com respeito e diplomacia, e espera o mesmo tratamento em troca. Além disso, ela deixou claro que aqueles que fugirem dessa diplomacia terão que responder criminalmente por qualquer tentativa de estereotipar sua identidade.

Embora as acusações de transfobia tenham sido levantadas durante a sessão, o presidente da CPMI, Arthur Maia, interveio para garantir o direito de fala de Erika Hilton e afirmou que uma investigação seria realizada para apurar os fatos. Caso a fala de Abílio seja comprovada, medidas punitivas poderão ser aplicadas.

Outro - lado. O #vgn não conseguiu contato com o deputado Abílio.  

Atualizada - O deputado Abílio emitiu seu posicionamento por meio das redes sociais.

Mais uma vez estão tentando colar narrativas, narrativas, narrativas.

Estão compartilhando a doidado fakenews com vídeos editados com nenhuma falha minha, mas me acusando de homofobia. Absurdo!

Eles estão desesperados que não conseguem colar narrativas na CPMI 8/1 e estão buscando meios para me afastar. Não conseguirão!

Não aceito homofobia, não admito. E não aceito que seja feito fakenews me atacando sem nenhuma prova de qualquer ataque que eu tenha desferido contra a Erika. Parece que por algum motivo, a deputada tem sido recorrente em me atacar. Maldade ou estratégia, não sei.

Não vão nos calar, nem criando fakenews.

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760