24 de Fevereiro de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Política Sábado, 06 de Maio de 2023, 11:21 - A | A

Sábado, 06 de Maio de 2023, 11h:21 - A | A

Esfriou

Oposição perde entusiasmo com a CPMI dos atos golpistas

Os deputados de oposição enxergam na CPI do MST um caminho melhor para desgastar o governo

Carlos Oliveira/ Fatos de Brasília

Após a autorização, em 26/04, para instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que investigará os atos golpistas ocorridos na Praça dos Três Poderes, em Brasília, no dia 8 de janeiro, a oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Congresso Nacional tem demonstrado pouco interesse pelo assunto.

Embora a oposição tenha feito uma defesa entusiástica pela apuração das responsabilidades pelas ações antidemocráticas, parece ter perdido o ímpeto na busca pela verdade dos fatos. Esse desinteresse pode ser atribuído, em parte, ao tamanho da oposição, que provavelmente não terá maioria na comissão e dificilmente conseguirá obter cargos de destaque.

Com isso, a oposição corre o risco de ser coadjuvante em uma CPMI da qual foi o protagonista para sua instalação. Além disso, a oposição enxerga na CPI do MST um caminho melhor para desgastar o governo. Na Câmara, deputados de oposição têm concentrado seus esforços na CPI do MST, considerando-a mais relevante para o momento político atual.

O deputado Sóstenes Cavalcanti (PL-RJ), um dos principais líderes da oposição e da bancada evangélica, afirma que a CPI é um instrumento da oposição e destaca que a CPMI dos atos golpistas terá maioria governista, o que reduzirá o protagonismo da oposição.

"Para mim, ela [a CPMI do 8/1] vai ser midiática mais do que ter resultado prático. Acho que a do MST vai ter mais destaque, porque CPI é um instrumento de oposição. E lá [na do 8/1] é governo. Então, esquece, isso não é CPI. Ali [na do MST], o pau vai cantar. Ali vai ser CPI", enfatiza Sóstenes.

No Senado, o senador Otto Alencar (PSD-BA) entende ser desnecessária a CPMI, justificando seu posicionamento pela diferença entre a CPI da Covid e essa atual CPMI. Para ele, a CPI da Covid era necessária em razão da falta de ação de outras instâncias do Estado, enquanto no caso dos atos golpistas a polícia e o Judiciário já estão atuando efetivamente.

"Minha opinião é que ela perdeu espaço e tempo para ser instalada. Estamos aguardando os principais defensores da CPI, os líderes da oposição, e me parece que houve um arrefecimento", conclui o senador.

Leia Também: Coronel Fernanda compartilha desinformação contra PL das Fake News

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760