24 de Fevereiro de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Senado Segunda-feira, 22 de Maio de 2023, 16:51 - A | A

Segunda-feira, 22 de Maio de 2023, 16h:51 - A | A

em Brasília

Jayme cria projeto que visa garantir acesso de pequenas empresas aos fundos constitucionais

O senador afirma que grandes empresas ‘abocanham’ quase todos os recursos em detrimento daqueles que mais precisam

Redação/VGN

O senador Jayme Campos (União) apresentou um projeto de lei para direcionar um percentual de 25% das operações de crédito dos Fundos Constitucionais do Norte (FNO), do Nordeste (FNE) e do Centro-Oeste (FCO) às pequenas e microempresas. A medida prevê corrigir o acesso aos fundos constitucionais que atualmente, segundo ele, privilegiam os grandes empresários em detrimento daqueles que mais precisam de financiamento.

“Eu fico indignado quando vejo um pequeno produtor, uma pequena empresa recorrer a esse fundo e a ele não tendo acesso, porque a exigência, a burocracia é gigantesca. Às vezes chega um empresário grande, talvez muito bem articulado, e abocanha 200 milhões, 300 milhões”, disse Jayme.

Ele citou exemplo exemplos de cidades que viveram ciclo do ouro e do diamante que passaram ao empobrecimento. “Nós tínhamos que ajudar, ao menos manter, a população que ali estava através, naturalmente, da transformação, da produção em seu entorno, através da agroindústria, levando, talvez, indústrias para gerarem mais empregos para aquela população”, observou.

Entretanto, Jayme afirma que os fundos não atendem o seu objetivo final, e é preciso acabar com esses desequilíbrios inter-regionais e regionais, no nosso estado e em toda a Região Centro-Oeste. “O Fundo Constitucional do Centro-Oeste tem alguns bilhões, mas não chega ao pequeno, não chega, muitas vezes, ao médio”, frisou.

A Lei dos Fundos Constitucionais de Financiamento visa o tratamento preferencial nas atividades produtivas de pequenos e microprodutores rurais e pequenas e microempresas. No entanto, as instituições financeiras que repassam os recursos não são obrigadas a cumprir o que estabelece a norma.

Ao corrigir essa falha, impondo percentual mínimo, Jayme Campos considera “fundamental desburocratizar e democratizar o acesso ao crédito no nosso país, como política de Estado, para a retomada do desenvolvimento”. Ele afirmou que o projeto reforça o papel dos fundos constitucionais, preservando a política pública de geração de emprego e renda "nos setores mais desfavorecidos", com o acesso ao crédito a taxas subsidiadas para a reparação dos desequilíbrios regionais.

“Favorecer os pequenos empreendimentos significa também estimular a criação de oportunidades. No ano passado, oito em cada dez empregos gerados no Brasil eram de micro e pequenas empresas, segundo levantamento do Sebrae. Os pequenos negócios são os maiores empregadores do nosso país, respondendo por cerca de 30% do Produto Interno Bruto nacional”, concluiu.

Leia mais - Janaina diz que MT terá que se adaptar produção sustentável como exige o mercado internacional

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760