17 de Junho de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Política Segunda-feira, 15 de Maio de 2023, 16:02 - A | A

Segunda-feira, 15 de Maio de 2023, 16h:02 - A | A

Rachadinha

Ministério Público solicita investigação sobre pagamentos em espécie das despesas de Michelle Bolsonaro

Indícios de irregularidades levantam suspeitas sobre tentativa de driblar o controle

Carlos Oliveira/ Fatos de Brasília

O subprocurador do Ministério Público, Lucas Rocha Furtado, apresentou uma representação junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) nesta segunda-feira (15.05), solicitando uma investigação minuciosa sobre indícios de irregularidades relacionadas aos pagamentos em espécie das despesas da ex-primeira-dama. De acordo com o subprocurador, tais pagamentos em dinheiro vivo parecem ter o objetivo de burlar o controle e a transparência nas contas públicas.

"A meu ver, fica evidente que o pagamento de despesas com 'dinheiro vivo' busca driblar o controle", afirmou Rocha Furtado, enfatizando a necessidade de uma apuração detalhada dos fatos. Ele destacou que o uso de dinheiro em espécie para quitar despesas relacionadas à ex-primeira-dama suscita preocupações sobre possíveis tentativas de ocultação de informações e desvio de recursos públicos.

A solicitação de Lucas Rocha Furtado destaca a necessidade de uma análise aprofundada dos documentos e registros relacionados aos pagamentos em espécie, com o intuito de verificar se houve irregularidades ou violações legais. Caso irregularidades sejam comprovadas, a promotoria pede que agentes sejam responsabilizados e o dinheiro público, ressarcido.

Entenda

A Polícia Federal encontrou, em trocas de mensagens por WhatsApp, as imagens de sete comprovantes de depósitos em dinheiro vivo feitos pelo tenente Mauro Cid, ex-ajudante de ordens da Presidência, encaminhados a assessoras da ex-primeira-dama. Os repasses totalizam R$ 8,6 mil.  

De acordo com a investigação, os depósitos usavam um método comum nos casos de rachadinha: eram feitos de forma fracionada, em pequenos valores, para impedir o alerta aos órgãos de controle e a identificação de irregularidades.

Como os pagamentos foram em dinheiro vivo, não há a identificação da origem dos valores. O inquérito apura se os pagamentos seriam provenientes do desvio de recursos públicos do Palácio do Planalto.

Leia Também: Presidente do PT chama Michelle Bolsonaro de “santa do pau oco”: “Empresas financiavam Michelle”

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760