21 de Fevereiro de 2024.

  • ico-capa-01-facebook.png
  • ico-capa-01-twitter.png
  • ico-capa-01-whatsapp.png

Política Sexta-feira, 30 de Junho de 2023, 14:51 - A | A

Sexta-feira, 30 de Junho de 2023, 14h:51 - A | A

Decisão

Bolsonaro diz que Lula “brinda” sua inelegibilidade e sugere que eleição 2026 será por W.O

O ex-presidente Bolsonaro garantiu que "jogou dentro das quatro linhas da Constituição", porém, não foi reconhecido

Adriana Assunção/VGN

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) acredita que os apoiadores do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) irá “brindar” sua inelegibilidade com “ditadores” após decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sexta-feira (30.06).

“Aquelas autoridades, sem citá-las, que vinha ao longo do tempo, dizendo que tinha que salvar o Brasil de uma Ditadura, que, de uma forma ou de outra, contribuíram para com aqueles números do TSE e agora contribuíram pela minha inelegibilidade eu peço que essa pessoa, por questão de coerência procurem Lula, que marcou uma reunião, não sei se todos estarão presentes, mas que vão brindar com Ortega da Nicarágua, que prendeu todos os opositores”, declarou o ex-presidente apontando também autoridades de Cubas.

Bolsonaro, que foi condenado à inelegibilidade até 2030 por abuso de poder político e uso indevido dos meios de comunicação em uma reunião com embaixadores, em julho de 2022, sugeriu que Lula poderá vencer as próximas eleições por W.O.

“Estamos no caminho de uma ditadura, quer dizer, um caminho bastante avançado de uma ditadura. Quem seria oposição de atual mandatário em 2026, no momento ainda não tem nome, pode ser que apareça, mas não tem nome. Seria quase que um W.O ou por aclamação”, declarou o ex-presidente.  

Bolsonaro argumentou que como presidente defendeu a pauta que sempre defendeu como parlamentar [o voto impresso]. Ele chegou a dizer o próprio ex-ministro de Lula, José Dirceu questionou o voto impresso avalia que foi tirado de combate por “querer acrescentar camadas de segurança”.    

“Eu fui condenado por um direito de parlamentar no passado. Defender os projetos que por ventura apresente. (...) Eu acredito que tenha sido a primeira condenação por abuso de poder Político, acredito que tenha sido este o meu crime. Crime sem corrupção”, declarou.

Condenado, o ex-presidente seguiu com os ataques ao TSE afirmando que o Tribunal trabalho contra suas propostas. Entre os vetos da Justiça Eleitoral, Bolsonaro destacou que foi proibido de fazer live em sua casa, bem como, de mostrar a imagem do 7 de Setembro, na qual usa o evento cívico brasileiro como conteúdo político para campanha.

“Acompanhamos as eleições, a maneira como a Justiça eleitoral ágil, me proibindo até de fazer live em minha casa, apareceu o resultado, o TSE anunciou o ganhador, eu me recolhi, a transição foi feita na absoluta normalidade, ninguém do PT pode reclamar de nenhum ministro meu sobre a transição, dia 30 sai do Brasil e infelizmente aconteceu o 8 de janeiro.”

Ainda sobre o 8 de janeiro, Bolsonaro negou tentativa de golpe e completou: “Quem fala em golpe o 8 de janeiro, não sabe o que é golpe, com todo respeito é um analfabeto político. Ninguém vai dar golpe com senhorezinhos e senhorinhas com bandeira do Brasil nas costas, se bem que lamentamos a depredação do patrimônio público ocorrido, as pessoas que fizeram isso, tem que arcar com as suas responsabilidades.”

Ao finalizar, o ex-presidente garantiu que jogou dentro das quatro linhas da Constituição, porém, não foi reconhecido. “Hoje levei uma facada nas costas com a inelegibilidade.”   

Leia mais: Nunes Marques não vê gravidade em reunião com embaixadores, mas defende urnas eletrônicas

 

Siga a página do VGNotícias no Facebook e fique atualizado sobre as notícias em primeira mão (CLIQUE AQUI).

Entre no grupo do VGNotícias no WhatsApp e receba notícias em tempo real (CLIQUE AQUI).   

Comente esta notícia

icon facebook icon twitter icon instagram icon whatsapp

RUA CARLOS CASTILHO, Nº 50 - SALA 02 - JD. IMPERADOR VÁRZEA GRANDE / MT

(65) 3029-5760 | (65) 99957-5760